segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Deus nos ajude ...


Crenças ... Quem ou O Que seria Deus para Você?

Bom, eu mesmo não sigo religião alguma ... Tenho uma opinião formada de que existe Sim uma força maior por tras de tudo, algo que me dê um sentido, uma força de superar tudo ... Alguém em quem posso confiar de olhos fechados ...

Nas mitologias mais antigas como a Grega e a Egípcia, não existe apenas um Deus, assim como nas crenças mais comuns ...

O uso "em vão" Dele ...

Muita gente não pode ter uma dorsinha que já vai logo pedindo ajuda ... "Deus me ajude" ... Não seria você capaz de resolver isto? Tem sempre que pedir a ajuda Divina?

Quanto aos que não acreditam ... Bom, não posso falar muito, pois conheço poucos "Ateus" ... Mas já ouvi muito dizerem sobre as "contradições" da Bíblia (livro este, que para mim, é INUTIL, jah que foi escrito e reescrito pelos homens ...) PORÉM, eu gostaria de saber o ponto de vista deles, qual a finalidade de sua "estadia" na Terra ...

Quem seria, Deus? Jeová? Allah? Zeus? Tantos nomes, para uma só "figura"?

Valeu!

10 comentários:

Ricardo disse...

É Nickolas, este assunto é bem polemico, como eu tmb não sigo religiões, apesar de ser católico não a sigo.
O que acontece somente em várias religiões é somente um Deus, bom pelo menos é isto que eu acho.
Agora como vc disse ai, tmb acho que a Bíblia é bem contraditória, temos várias passagens por ela que se a pessoa ler bem é contráditória logo em seguida, só que isto vai da maneira que cada um tem de analizar.
Só creio em uma coisa, Deus existe. Pq o que é não crer em nada, gostaria que nem vc falou ai que algum ateu me falace isto, não cre em nada, senão o mundo a partir desta maneira de visão não teria sentido concorda?
Quantos aos livros conheço um pouco e posso lhe falar com segurança, que são contradições a Bíblia, ou seja algumas verdades que foram tiradas de circulação.
Como tmb temos os Apóclafos, sou seja Evangelhos antigos.
Só sei de uma coisa colega, quando menos ir a fundo nisto melhor, pois com certeza na história tem muita coisa escondida que se vier a tona, ira mudar tona uma nação.
Abraços.

Anderson Kamael disse...

bom eu tbem nao sigo religiao alguma, ja segui diversas... mas hoje nao vejo o porque, já que nao preciso ir a igreja pra falar com Deus, mas sei que tem algo superior o qual eu chamo de Deus que está sempre nos olhando e nos guiando atraves de seus guias.
A unica opiniao que tenho formada sobre esse assunto é que nao acredito em santos

Abraços

Ricardo disse...

Concordo Anderson, pois a Igreja ai somos nós mesmos, estando com Deus, não precisamos ir na casa dele ou seja....muitas vezes 4 paredes que vc só escuta besteira lá dentro, vindo de certos horadores, padres, etc....acho que vale mais a fé que cada um tem mesmo pois Igreja é isto a fé que temos, idependente de ir a 4 paredes ou não.
Abraços.

Nickolas Sky disse...

Concordo com os 2!

A questão de ir a alguma Igreja, eu já frequentei Evangelicas, Catolicas, Espiritas, Umbanda, entre outros, e sempre ouço uma falando mau da outra ... E por isso não frequento outra ... Usam muito "A Casa de Deus" para uma visão política, e usam do poder para conseguir dinheiro dos que pouco tem ...

Prefiro ficar no meu quarto e FALAR com Deus ... Agradecer tudo que alcansei e tudo mais ...

Pra mim, DEUS É SÓ UM!



Valeeeeeeeu

Ricardo disse...

Verdade Nickolas, hj muitas denominações é mais grana do que fé.Isto já vem de passados não é de hj, que a Igreja ai, é mais um monopólio de grana, eriquecimento do que qualquer outra coisa sincera e boa para o povo.

Ricardo. disse...

Rapazes, passem o msn de vcs ai para que possamos nos interagir melhor, o meu caso queiram:
bbgh_rufos@hotmail.com
Abraços.

Nickolas Sky disse...

Grato por sua participação Ricardo ...

Mas prefiro que continuemos nos correspondendo aqui pelo Blog mesmo ...

Valeeeeu!

Paulo disse...

É bom conhecer e relembrar a seguinte verdade: nenhum filósofo, nenhum lógico, nenhum matemático, nenhum teólogo, nenhum cientista ou qualquer outra pessoa, no passado ou no presente, jamais encontrou uma única contradição nas páginas da Bíblia. Fizeram-se e fazem-se tentativas de mostrar que a Bíblia é inexata e contraditória, às vezes querendo fazer com que os leitores, seguidores e divulgadores da mensagem da Bíblia sejam vistos como desprezíveis, ignorantes, tolos ou ridículos. Porém, invariavelmente, as pessoas que alegam contradições na Bíblia o que fazem é o seguinte: (1) escolhem duas ou mais sentenças bíblicas; (2) escolhem uma interpretação incompatível ou contraditória para essas sentenças; (3) e depois afirmam que a Bíblia é contraditória. O certo é que a Bíblia é um todo coerente. Na verdade, todas as alegadas contradição residem na INTERPRETAÇÃO que essas pessoas decidiram escolher, quando está disponível e acessível a todos, normalmente através do contexto ou de outras passagens bíblicas, a interpretação compatível, não-contraditória e razoável das passagens bíblicas que podem, à primeira vista, suscitar alguma dificuldade de compreensão. Deste modo, a contradição que essas pessoas alegam NÃO reside no que a Bíblia diz, mas naquilo que ELAS, segundo a prévia interpretação que decidiram escolher, DIZEM que a Bíblia diz ? mas que a Bíblia realmente não diz. Naturalmente, no exercício, do meu livre-arbítrio, eu sou livre para, de um cesto de maçãs que tem à vista maçãs boas e maçãs podres, escolher tirar uma maçã podre. Problema meu. Também, perante a Escritura, sou livre para ESCOLHER uma interpretação contraditória, mas aí também o único responsável por isso sou eu. Não poderei jogar as culpas na Bíblia ou em outras pessoas, por isso. Às vezes, esforçando-me por conseguir a boa interpretação, eu posso ter dificuldade em ver qual seria essa interpretação correta de certa passagem bíblia. É interessante que a Bíblia contém pelo menos uma situação igual a essa, que é a do eunuco etíope. No livro de Atos 8:26-38, esse homem de religião judaica temente a Deus estava lendo o texto de Isaías 53:7,8 e estava tendo dificuldade na interpretação dessa passagem bíblia. O evangelizador Filipe abordou-o e informou-o de uma interpretação de Isaías 53:7 e 8 diferente da interpretação que os líderes religiosos do judaísmo lhe propuseram e que ele tinha aceito até ali. Esse homem instruído, membro do Governo da Etiópia, humildemente aceitou a interpretação proposta pelo evangelizador Filipe, com um resultado muito feliz.

Anônimo disse...

Submetidas as alegadas contradições da Bíblia à análise científica proporcionada pela maquinaria pesada da semântica, da sintaxe, da pragmática e da lógica, verifica-se que nenhuma dessas «contradições» é genuína. Todas são fabricadas pelo intérprete, pelo tradutor ou por ambos, através de uma operação ou manobra de acréscimo de texto que não consta no texto da Bíblia.
Muitas dessas pessoas que dizem que a Bíblia tem contradições nem sequer sabem o que é a Bíblia. A Bíblia é um livro em língua hebraica (com alguns trechos em aramaico) e em língua grega, composto de contributos de cerca de quarenta escritores, começando por Moisés, no ano 1513 antes da nossa era, e terminando em João, no ano 98 da nossa era. Designemos por a esse livro, a Bíblia. Acontece que o objeto a tem sido traduzido para muitas línguas. Designemos por x uma qualquer das traduções de a. Observe-se que a e x são objetos distintos. Por exemplo, todo o x é posterior a a e nenhum x é escrito, nas mesmas passagens, na língua hebraica, aramaica e grega do tempo de a; ademais, a pode existir sem existir x, mas x não pode existir sem existir a, e a é absolutamente independente de x, sendo que nada do que afeta x afeta a. Ora, a simples inspeção ao site da Bíblia do Cético Comentada revela que aí se não trata do objeto a, a Bíblia. Aí se trata de um objeto x, que é distinto. A Bíblia não é um livro em língua portuguesa, nem em língua inglesa. Nestas línguas o que existe são traduções. Note-se até que há pelo menos uma organização religiosa que traduziu a Bíblia para a língua portuguesa e que, em vez de intitular essa obra Bíblia, ou Bíblia Sagrada ou Escrituras Sagradas, intitulou-a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas. É uma tradução. Assim, as pessoas sabem o que têm em mãos. Por conseguinte, alguém que queira demonstrar uma inconsistência ou contradição na Bíblia tem de falar da Bíblia. Se, em vez disso, falar de uma tradução e, portanto, se passar de eventuais contradições, erros ou incongruências do objeto x para daí se concluir que existem contradições, erros e incongruências no objeto a, que é distinto de x e anterior a x, comete um vício lógico referenciado na literatura da especialidade como «falácia do espantalho», e seus argumentos não merecem a mínima credibilidade. Os proponentes e defensores de tais argumentos viciados pela falácia do espantalho expõem-se ao ridículo perante a comunidade científica, filosófica e acadêmica.

Anônimo disse...

Todo o raciocínio em que se baseia a Bíblia do Cético Comentada assenta nesta falácia do espantalho e, por isso, de uma só vez, fica demonstrado que a Bíblia do Cético Comentada nenhuma prova faz quanto a sequer uma qualquer alegada contradição de todas as alegadas contradições da Bíblia. O fracasso é completo.
Adicionalmente, algumas dessas pessoas que dizem que a Bíblia tem contradições nem sequer sabem o que é uma contradição. As contradições são problemas lógicos e não problemas literários. Convém recapitular o que é uma contradição. A ciência que estuda as contradições é a Lógica. De acordo com a Lógica, uma contradição é uma frase, proposição ou fórmula do género «este homem casado é solteiro», «aquele animal é todo preto e todo branco», «desenhei um triângulo quadrado» ou «a Bíblia é divinamente inspirada e a Bíblia não é divinamente inspirada» ou «é proibido matar e não é proibido matar». Acresce que – como lembra a Enciclopédia de Termos Lógico-Filosóficos (de João Branquinho/Desidério Murcho, sob a entrada «Contradição» –, só existe contradição quando uma frase, proposição ou fórmula «é falsa em todas as interpretações», ou seja é falsa em todas as situações possíveis. Ora, as pessoas com conhecimentos científicos adequados sabem que a Bíblia não tem e não pode ter contradições, visto que, para isso, seria necessário (1) selecionar pelo menos duas frases da Bíblia, (2) demonstrar que cada uma dessas frases só pode ser verdadeira numa única situação; (3) demonstrar que não existe nenhuma situação em que ambas as frases sejam verdadeiras. Simplesmente, é impossível fazer a demonstração de (2) e (3). Na verdade, a Lógica e a Matemática ensinam-nos que há coisas que não existem. Por exemplo, não existem quadrados redondos, nem existe um número maior que os outros todos, e não existe nem é possível descobrir ou inventar um calmante que excite as pessoas. Semelhantemente, a Lógica e a Matemática, em particular a Teoria dos Conjuntos, ensinam-nos que é impossível encontrar contradições na Bíblia. Tentar encontrar uma contradição na Bíblia é a mesma coisa que tentar encontrar um homem solteiro que seja casado. Esta é a segunda razão pela qual os proponentes e defensores da tese de que a Bíblia contém contradições se expõem ao ridículo perante a comunidade científica, filosófica e acadêmica.
Assim, mesmo que a Bíblia do Cético Comentada analisasse a própria Bíblia – e não uma tradução –, afastando, deste modo, a falácia do espantalho, o seu fracasso em provar qualquer contradição da Bíblia é sempre completo e absoluto, como a Lógica o demonstra.